DO Portal de A Crítica

O presidente da Companhia de Gás do Estado, Lino Chíxaro disse nesta terça-feira (17) durante cessão de tempo realizada na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE/AM), que a Refinaria de Manaus (Reman) está desviando gás da Cigás e que esse prejuízo já chega a R$ 11 milhões.

“Se eles não pagam pelo que eles consomem fisicamente, eles deveriam pagar pelo menos juridicamente, pois é isso que está previsto no contrato. Infelizmente, com relação a essa questão a Petrobras se acha certa. E nós nos sentimos lesados por isso”, afirmou Lino.
Segundo ele, o certo era que a Reman utilizasse a tubulação da Cigás, mas ela desvia e consome o gás, descumprindo o contrato.

Gás Veicular

Ainda na cessão de tempo, o deputado estadual Luiz Castro (PPS) sugeriu que a empresa crie um plano de incentivo para garantir aos consumidores um preço acessível ao gás veicular.
Castro, que é presidente da Comissão de Meio Ambiente, também destacou a importância de aliar o consumo do gás veicular à Lei de Serviços Ambientais, criando instrumentos tributários que estimulem a economia verde, como a isenção do IPVA aos motoristas que implantem o quite de gás veicular e a redução do ICMS aos consumidores que adquirirem carros cujos modelos sejam abastecidos com o gás.

À frente da Cigás desde fevereiro deste ano, Lino Chíxaro aprovou a sugestão de Castro e informou que vai colocar a idéia na pauta de discussão da empresa. Ele ressaltou que, no Brasil, a frota de carros abastecidos com o gás é superior a 1,5 milhão. “Só no Rio de Janeiro, são cerca de 750 mil veículos. Em relação à gasolina, o gás veicular oferece uma economia de até 55%” – disse.




Clique aqui para comentar vía Facebook.