segunda-feira, 22 de junho de 2009

A questão da pedofilia em Coari: Relembrar para entender melhor


"...E SÓ SERVE SE FOR VIRGEM"

Fonte: Blog do Holanda

A REPÓRTER CLARICE MANHÃ , ENVIADA DO BLOG DO HOLANDA A COARI, FAZ UM RELATO DO CLIMA DE TERROR QUE VIVE A CIDADE, AMEAÇADA PELA MILÍCIA ARMADA, E COLHE DEPOIMENTO DE FAMÍLIAS DE CRIANÇAS ALICIADAS PELO PREFEITO ADAIL PINHEIRO.


Coari – Clarice Manhã - "Aqui ninguém pode falar nada, porque é perseguido mesmo. O comando Delta ainda está intimidando a gente. Temos medo de denunciar". Assim começou o relato da dona de casa coariense Maria Francisca da Silva, 35, sobre as táticas (de aliciamento de menores) do prefeito Adail Pinheiro.


"Essa história de modelo é de uns dois anos para cá, quando ele resolveu mudar de prato. Desde que foi eleito ele bota gente dele atrás das meninas da cidade. Só escolhe as mais bonitas, sempre de 11 a 15 anos, no máximo. E só serve se for virgem", disse.


Maria Francisca contou que duas meninas de sua família foram persuadidas por uma mulher conhecida na cidade como Joca.


"Ela convidou minha sobrinha de 13 anos para ir numa festa na casa do prefeito. A menina aceitou, mas se arrependeu e nos contou tudo. Disse que quando chegou lá o Adail tentou agradá-la de todo jeito, até ofereceu um celular. Ela ficou muito impressionada com o quarto dele, falou que era luxuoso demais, cheio de perfumes caros.


"Quando eles ficaram sozinhos, e ele tirou a roupa ela teve medo e fugiu. Já o meu primo, tem uma filha de 14 anos, e acha é bom que o prefeito queira ela. Às vezes ele está jogando dominó aqui em casa, o celular toca e ele diz: - 'Tá prefeito, já vou levar ela ai. E manda a menina ir se arrumar. Assim ele conseguiu dinheiro para reformar a casa dele".


O vendedor Ademir dos Santos, 39, disse que na maioria dos casos, a Joca, o Adriano Salan, e outros assessores do prefeito prometem casa, motocicleta, celular, dinheiro ou emprego diretamente para as meninas ou para os seus familiares. E cumprem a promessa.


"Para algumas meninas ele ( Adail) dá mais coisas, cada caso é um caso. Temos aqui uma família onde o pai e mãe são verdureiros, e hoje eles têm uma casa avaliada em R$ 150 mil. O acordo era que a filha mais velha, a M., uma menina muito bonita, seria do prefeito. Ela era vigiada o tempo todo, e sua mãe não a deixava namorar com meninos da sua idade nem sair com as amigas. Essa foi a que mais lucrou. Além da casa, ganhou moto e celular. O caso acabou ano passado, ela cresceu".


Ademir ressalta que os assessores de Adail também mantêm relações sexuais com as meninas escolhidas por ele, mas sempre depois do prefeito.


"É preciso ficar claro que não só os pobres aceitam as ofertas de Adail, conheço algumas famílias humildes que não quiseram nada. E tem pais de classe média que trocam a virgindade da filha por cargos na prefeitura, com salários altos".



contiunua logo abaixo