quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Novos milionários

Mega-Sena dividida por dois

Os R$ 144,9 milhões da Mega-Sena serão divididos entre dois apostadores - um de Brasília. O outro de São Paulo.

Segundo a Caixa, com os R$ 144,9 milhões previstos para o prêmio, seria possível comprar uma frota de 5,8 mil carros populares, 29 mil motos de 125 cc.

Aplicado em imóveis, o prêmio permitiria comprar todo um condomínio de padrão médio, de sete edifícios, cada um com 20 andares e 6 apartamentos por andar.

Aplicado em poupança, o rendimento mensal dos quase R$ 145 milhões passaria dos R$ 725 mil por mês.

Governo federal anuncia reajuste de 7,86% para professores

Aplicação eleva o piso para R$ 1.024,67.
Decisão é passível de contestação na Justiça.

Da Agência Estado



O Ministério da Educação (MEC) anunciou reajuste de 7,86% para o piso salarial do professores nesta quarta-feira (30). Com o índice, os profissionais da rede pública de ensino devem receber no próximo ano, por uma jornada de trabalho de 40 horas semanais, pelo menos R$ 1.024,67.

O valor foi anunciado pelo o ministro da Educação, Fernando Haddad, depois de uma consulta à Advocacia Geral da União (AGU) sobre como fazer o cálculo do aumento. O ministro, no entanto, alertou que a decisão da AGU não é vinculante e, por isso, é passível de contestação na Justiça.

O presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CMN), Paulo Ziulkoski, afirma que boa parte das prefeituras terá dificuldade em arcar com novos custos.

Ao anunciar os dados, porém, Haddad garantiu que estados e municípios teriam condições de arcar com o reajuste. Ele listou três fatores como justificativa. O primeiro seria o aporte adicional de R$ 1 bilhão do governo federal para estados e municípios, resultado do aumento dos repasses para merenda e transporte escolar.

A segunda razão apontada foi o aumento das transferências da União ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) de R$ 5,07 bilhões em 2009 para R$ 7 bilhões em 2010. Outro motivo, de acordo com o ministro, seriam as projeções do Produto Interno Bruto (PIB) para 2010, que indicam crescimento de 5% na arrecadação.

domingo, 27 de dezembro de 2009

Oportunidade: Bancos públicos abrem vagas em 2010

Elza Fiúza/ABr
Banco do Brasil vai abrir cinco novas agências entre Manaus e o interior



Acyane do Valle
Da equipe de A CRÍTICA

A expansão dos bancos públicos no interior do Amazonas, prevista para o ano que vem com a abertura de novas agências do Banco do Brasil (BB) e da Caixa Econômica Federal (CEF), irá oferecer mais oportunidades de trabalho aos profissionais da área, segundo o presidente do Sindicato dos Bancários do Amazonas, Nindberg Barbosa dos Santos.

No início deste mês, em entrevista a A CRÍTICA, o superintendente do BB no Estado, José Amarildo Casagrande, anunciou que a instituição vai abrir cinco novas agências em 2010, tanto em Manaus quanto no interior. Por enquanto, ainda não há uma estimativa do número total de vagas que serão abertas no Estado, embora a campanha salarial da categoria, discutida este ano, tenha assegurado para 2010 a contratação de 5 mil novos bancários para as agências da CEF, além de 3 mil para o Banco da Amazônia e 10 mil para o BB - as vagas são para as agências de todo o País.

Em relação ao Banco do Brasil, a instituição já anunciou que metade das 10 mil contratações irá acontecer até dezembro de 2010 e o restante, até dezembro de 2011. O banco ainda não concluiu os estudos sobre as localidades em que há maior necessidade de pessoal, porém, adiantou que estão avançados.

Reveillon

Quem precisar resolver algum assunto nos bancos ainda este ano, terá até o dia 30 para fazê-lo, o último dia útil bancário de 2009. De acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), nos dias 31 de dezembro e 1º de janeiro de 2010, não haverá atendimento ao público. As agências funcionarão normalmente no dia 4 de janeiro, segunda-feira.

As contas de água, luz, telefone, carnês e outras que venceram no dia 25 de dezembro poderão ser pagas amanhã, dia 28, sem cobrança de multa. Da mesma forma, aquelas com vencimento nos dias dia 31 de dezembro e 1º de janeiro poderão ser quitadas no dia 4 de janeiro. Os bancos ainda oferecem a opção aos correntistas de agendar pagamentos.

Renda concentrada

Arquivo A CRÍTICA
Polo Industrial de Manaus atrai para a capital mais de 80% da renda do Estado



Joubert Lima
Da equipe de A CRÍTICA

Pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelou o tamanho da desigualdade na distribuição de riqueza no Amazonas. Que era concentrado, todos já sabiam. O detalhe é que se trata da maior concentração de renda do País. Por aqui, os cinco municípios com Produto Interno Bruto (PIBs) mais expressivo detêm 87% das riquezas do Estado, sendo que só Manaus responde por 81,9%. Os cinco maiores PIBs estão em Manaus, Coari, Itacoatiara, Manacapuru e Parintins.

Entre as capitais com maiores PIBs do País, Manaus se mantém na sexta posição. Entre 2002 e 2007, a cidade elevou seu PIB de R$ 31,9 bilhões para R$ 34,4 bilhões.

No que diz respeito ao PIB per capita (PIB do Estado dividido pelo número de habitantes), o salto de Manaus foi de 77%, passando de R$ 11,7 mil para R$ 20,8 mil. Vale ressaltar que, no mesmo período, a população do Estado cresceu apenas 8,8%. Para o supervisor de disseminação de informações do IBGE, Adjalma Jaques Nogueira, esse dado revela um fenômeno de extrema concentração de renda no Estado.

Para Adjalma, esse aumento na concentração se reflete em maior dependência dos demais municípios em relação à capital, o que acarreta em empobrecimento local.

Em Itacoatiara, Manacapuru e Parintins, a principal atividade econômica está nos “Serviços”, principalmente no comércio, favorecido pela proximidade com a capital. Nos demais municípios, a atividade de serviço divide peso com a área pública. Eles são, literalmente, sustentados pelas prefeituras, por meio de repasses federais e estaduais. Segundo o IBGE, 23 municípios amazonenses têm na atividade pública mais da metade do seu PIB.

Para os municípios, as consequências disso são dramáticas. Ter a receita atrelada à capital deixa os municípios em situação de dependência, inclusive política, em relação ao Executivo Estadual.

Dá para mudar?

A tese de doutoramento do sociólogo Marcelo Seráfico identificou como uma das principais causas da concentração de renda no Amazonas o foco econômico exclusivo na indústria. Na dissertação, ele destacou a completa falta de interesse por parte do poder público e do empresariado local em buscar alternativas à Zona Franca.

Mas é possível manter a Zona Franca e viabilizar o desenvolvimento do interior. Para Adjalma Jaques, a melhor maneira de fazer isso é criar mecanismos econômicos e não políticos, pois estes últimos criam vícios e geralmente são temporários. “Os mecanismos econômicos estarão nas mãos de privados e não de governos”, salienta.

O setor agropecuário, segundo revelam os dados do IBGE, é incipiente em quase todos os municípios, menos em Uarini. “A atividade primária tem que ter reflexo econômico para o município”, afirma Adjalma.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

O que acontecerá em 2010, segundo a Newsweek

A Newsweek é uma das duas mais importantes revistas semanais de informação dos Estados Unidos - a outra é a TIME.

Ela costuma fazer em sua última edição de cada ano previsões para o ano seguinte.

Algumas se cumprem, outras não.

Das 10 previsões para o próximo ano, três chamam a atenção:

1. Fidel Castro morrerá;

2. Hugo Chávez, presidente da Venezuela, será deposto pelos militares;

3. O Brasil se transformará em uma nova China devido à sua punjança econômica.

Faça suas previsões para o Brasil. O que acontecerá por aqui em 2010?

Prefeitos cortarão investimentos

As Prefeituras do interior do Amazonas estão preocupadas com o impacto do novo salário mínimo, fixado esta semana pelo governo federal em R$ 510 e válido a partir de 1º de janeiro, nos seus orçamentos de 2010. Os prefeitos dizem que não há como fazer mágica com o orçamento já fechado e o jeito será rever investimentos e fazer cortes.

O presidente da Associação Amazonense de Municípios, Jair Aguiar Souto, disse que é favorável a um “salário mais justo”, porém, todas as prefeituras “já fecharam seus orçamentos de 2010 sem essa previsão”. “As folhas de pagamento dos Municípios terão, em média, 4% de aumento real/mês”, afirmou.

Em Borba, o prefeito Antônio Muniz contou que todos os municípios que sobrevivem dos repasses do governo e não têm receita expressiva “vão pagar um preço alto”. Ele reunirá sua equipe nas primeiras semanas de janeiro para reavaliar as despesas e “fazer cortes”. O vice-prefeito de Alvarães, Edenilson Litaiff Mendes, disse que do orçamento atual “não sobra quase nada” e espera que haja um aumento nos recursos que são repassados pelo governo federal em 2010.

Braga promete R$ 1 Bilhão para o interior

Euzivaldo Queiroz
Governador Eduardo Braga conhece novas instalações da TV A Crítica/Record, da Rede Calderaro de Comunicação



Aristide Furtado
Especial para A CRÍTICA

O governador Eduardo Braga (PMDB) disse ontem que vai dispor de R$ 1 bilhão para investir nos 61 municípios do interior do Estado em 2010, ano em que buscará eleger o seu sucessor. Ao todo, o Governo do Amazonas espera contar com cerca de R$ 5 bilhões para a rubrica de investimento, segundo Braga.

Na última terça-feira, a Assembleia Legislativa do Estado (ALE) aprovou a Lei Orçamentária do Estado para 2010 no valor de R$ 8,4 bilhões, quase R$ 400 milhões do que a estimativa de 2009, que era de R$ 8,016 bilhões. De acordo com o governador, esse valor pode chegar a R$ 9 bilhões. “O nosso orçamento está magro por prudência. Em 2009, dimensionamos o orçamento para fazer frente à crise. Tivemos frustração de receita da ordem de R$ 500 milhões. Se todas as medidas derem certo, para 2010 nosso orçamento será da ordem de R$ 9 bilhões”, disse.

Segundo Braga, do R$ 8,4 bilhões que o Estado espera arrecadar, 14% serão destinados para investimentos, rubrica responsável pelas obras públicas, como abertura e recuperação de estradas e vicinais. “Isso dá mais de R$ 1 bilhão só de recursos próprios. Fora o investimento que temos do BNDES, Caixa Econômica Federal, Banco Interamericano, Banco Mundial. É muito provável que, no ano que vem, tenhamos investimentos da ordem de R$ 4 a 5 bilhões”, declarou Eduardo Braga.

O interior do Estado tem sido decisivo nas disputas eleitorais. Nesse ambiente a força da máquina pública é o cabo eleitoral estratégico. Esse é um dos motivos que explica a tendência histórica dos governadores do Amazonas elegerem seus sucessores ou se reelegerem. Foi assim em 2006, quando Eduardo Braga venceu Amazonino no primeiro turno com uma avalanche de votos dos municípios. Em Manaus a diferença entre os dois foi de apenas 25.269 votos. No interior, contudo, Braga levou vantagem de 119.231 à frente do ex-governador.

Segundo Eduardo Braga, cerca de R$ 400 milhões já estão sendo investidos em projetos nos municípios do interior. “O Banco Mundial nos dará algo em torno de R$ 100 milhões. Só aí são R$ 500 milhões. E nós ainda teremos mais uns R$ 400 milhões ou R$ 500 milhões. Diria que desses R$ 4 a 5 bilhões, um bilhão já está comprometido com o interior”, disse o governador.

Na LOA 2010, o maior volume de recursos destina-se à área de Educação que ficou com R$ 1,2 bilhão. O setor de Saúde tem recurso estimado de R$ 1,1 bilhão. O terceiro maior orçamento do Estado é o da Segurança com R$ 607,7 milhões.

domingo, 20 de dezembro de 2009

Amazonas sinaliza com três palanques para Dilma

Gusmão
Figuram como pré-candidatos Omar Aziz (PMN), Alfredo Nascimento (PR) e Amazonino Mendes (PTB)



Aristide Furtado
Especial para A CRÍTICA

O atual cenário da disputa pelo Governo do Amazonas obriga os partidos da base aliada do Governo Federal à formação de três palanques para a campanha da ministra Dilma Roussef. A postura contraria orientação dada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) quando da inauguração do gasoduto Urucu-Coari-Manaus, em 26 de novembro.

Figuram como pré-candidatos o vice-governador Omar Aziz (PMN), que poderá disputar a eleição no comando do Estado, com a saída do governador Eduardo Braga (PMDB) para concorrer ao Senado; o ministro dos Transporte Alfredo Nascimento (PR), que já teve a pré-candidatura anunciada por Lula; e o prefeito Amazonino Mendes (PTB), que nega ser candidato. Todos de olho no prestígio eleitoral de Lula.

Quando visitou Manaus, em novembro, Lula pediu palanque único para Dilma. Citou a candidatura de Alfredo, deixando de escanteio Omar e Amazonino. Para especialistas em política ouvidos por A CRÍTICA é quase impossível um dos três abrir mão da vaga de majoritário para ser vice ou cabo eleitoral.

O presidente do Instituto Action Marketing & Pesquisas, Afrânio Soares, afirmou que a unificação da base aliada em torno de um candidato ao Governo está praticamente descartada. “Não é impossível. Mas é difícil um deles deixar a candidatura em favor do outro pelos interesses que estão em jogo. Cada um quer ser governador”, disse.

O doutor em Ciência Política, Gilson Gil, considera a candidatura de Omar irreversível pelos indícios de que o governador Eduardo Braga renunciará para concorrer ao Senado. “As outras candidaturas é que são incertas. Se Omar assumir o governo, não terá razão para deixar de ser candidato. Mesmo porque não pode ser candidato a vice”, comentou.

Alfredo Nascimento tem, até agora, o aval de Lula e costura aliança com o PT, que ganhará mais quatro anos no Senado com a eventual vitória do ministro e ainda tenta emplacar a vaga de vice. As divergências internas, contudo, apontam que parte da sigla seguirá o candidato indicado por Braga. “No Amazonas, historicamente, ganha a eleição quem está no poder. Alfredo tenta mostrar ao Governo Federal que é possível ganhar vindo de fora”, lembra Gil.

A candidatura de Amazonino Mendes, segundo Gil, é a mais complicada de se efetivar por conta da situação do vice-prefeito Carlos Souza. Já passou uma temporada no presídio do Puraquequara, responde a processo por formação de quadrilha e corre o risco de impeachment. “Não acredito que Amazonino saia do cargo. Deixaria uma situação caótica, correria o risco de perder os votos de Manaus e teria dificuldade para conquistar os votos do interior. Seria o único fora do poder. A eleição no interior é cara”, afirmou.

Afrânio Soares diz que é cedo para se falar de prejuízos eleitorais. O prefeito se manteve afastado das denúncias. Não se manifestou sobre o assunto. “Tudo vai depender de como essa questão vai ser explorada. Ele preparou o caminho para ficar afastado do caso. Hoje, ele ainda sai na disputa com vantagem pelo histórico político e pelo recall (resultado da votação) da eleição em Manaus”, disse.

sábado, 12 de dezembro de 2009

O CNJ E OS JUÍZES DA VORAX

O CNJ vai deixar para 2010 o julgamento do Processo Administrativo Disciplinar contra desembargadores, juízes e funcionários do Tribunal de Justiça do Amazonas flagrados em escutas durante a Operação Vorax. De acordo com a denúncia, alguns magistrados e funcionários do TJAM mantinham relações nada republicanas com o então prefeito de Coari, Adail Pinheiro.

BLINDAGEM À VISTA

Nos últimos dias surgiram movimentos para blindar certas figuras citadas na denúncia ao CNJ. Um dos argumentos em relação aos juízes que atuam no interior do Amazonas é que, pela extensão territorial, aliada a falta de recursos da justiça, os juízes acabam dependendo do apoio "logístico"das prefeituras para poder atuar nas comarcas. Há um grande risco de o CNJ entrar nessa conversa fiada.

Do Sim & Não da Crítica

Dan Câmara é condenado pelo TCU

O coronel Dan Câmara, comandante da Polícia Militar, foi condenado, com mais cinco pessoas, a pagar aos cofres do Fundo Nacional de Saúde a quantia de R$ 409,4 mil, ainda não corrigidos. A decisão é do Tribunal de Contas da União e foi publicada ontem no Diário Oficial da União. A punição faz parte de um processo da Fundação Boas Novas, da Assembleia de Deus. Nele, Dan figura como um dos responsáveis e é qualificado pelo TCU como diretor executivo da FBN.

Devolução Na mesma decisão, o TCU manda a Fundação Boas Novas transferir veículos que recebeu do Ministério da Saúde, entre eles dois microônibus, para 17 municípios e para a Fundação Nacional de Saúde no AM.

Silêncio A CRÍTICA procurou ontem o coronel Dan Câmara, mas, segundo sua assessoria, não podia atender porque estava envolvido em uma atividade de formação. Até o fechamento desta coluna, ele não enviou resposta sobre o assunto.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Corrupção: Ações de improbidade atingem mais prefeitos

Euzivaldo Queiroz
Os procuradores Athayde Ribeiro e Thalles Messias apresentaram, ontem, os números do MPF nas ações de combate à corrupção




André Alves
Da equipe de A CRÍTICA

O Ministério Público Federal no Amazonas (MPF-AM) recebeu, de janeiro a setembro deste ano, um total de 1.364 denúncias, a maioria delas relacionadas a conflitos de terra. Parte das denúncias também atingem administrações públicas e apontam indícios de licitações fraudulentas, uso indevido de verba pública e improbidade administrativa. Entre janeiro e novembro de 2009, o MPF-AM moveu na Justiça Federal 73 ações de improbidade administrativa.

Conforme dados do Ministério Público Federal no Estado, 41 ações de improbidade administrativa resultaram em condenação de agentes públicos este ano. “A lei pressupõe o dever da boa administração. Para quem incide em afrontar a boa administração, temos uma grande chance de conseguir uma condenação”, disse, ontem, o procurador-chefe do MPF-AM, Thalles Cardoso, ao divulgar as ações do órgão contra a corrupção. Ontem, comemorou-se no mundo inteiro o Dia Internacional de combate à Corrupção.

Prefeitos na mira

De acordo com o procurador de Defesa do Patrimônio do MPF-AM, Athayde Ribeiro Costa, das 41 ações de improbidade administrativa que culminaram em condenação, 90% foram contra prefeitos municipais. O procurador afirma que o órgão encontra dificuldade em reaver verbas públicas desviadas porque, em muitos casos, agentes públicos condenados não possuem, nos próprios nomes, bens que possam corresponder ao volume desviado.

Ao todo, o MPF-AM recebeu este ano 146 denúncias relacionadas aos Direitos do Cidadão, 102 denúncias eleitorais, 43 relacionadas à improbidade administrativa, 31 ligadas ao Direito do Consumidor, 24 contra a administração pública e 207 relacionadas a conflitos de terra. Ao todo, foram registradas 1364 denúncia, 238 delas por meio do site da instituição.

“A população tem um importante instrumento nas mãos para combater a corrupção porque é o cidadão que, muitas vezes, toma conhecimento de um fato e esse fato deve ser apurado pelo MPF no combate à corrupção”, disse o procurador Athayde Ribeiro da Costa. As denúncias no órgão podem ser feitas pela Internet ou no protocolo da Procuradoria da República no Amazonas .

“O MPF do Amazonas é um dos que tem mais volumes de processos administrativos, o que mostra que existe um fator educacional forte da população amazonense no sentido de denunciar fatos que geram a improbidade administrativa”, afirmou o procurador Athayde Ribeiro da Costa.

Vice- prefeito de Manaus é preso

Márcio Silva
Prefeito em exercício, Carlos Souza chegou na noite de ontem à Unidade Prisional do Puraquequara




Joana Queiroz
Da equipe de A CRÍTICA

O vice-prefeito Carlos Souza está preso, preventivamente, na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP), desde as 19h30 de ontem, por determinação do juiz da 2ª Vara Especializada em Crimes de Uso e Tráfico de Entorpecente (Vecute), Mauro Antony. O magistrado decretou a prisão preventiva ainda da produtora do extinto programa de TV “Canal Livre”, Vanessa Lima, que está foragida da Justiça, e de quatro policiais militares: o coronel Jair Martins, o “Urso”, o cabo Rodolfo Lemos Soprano, o “Godô”, e os soldados Wellington Mateus Gonçalves e Claudiney Feitosa. Para a Justiça, Carlos estaria atrapalhando a instrução processual.

Todos são acusados de integrar uma organização criminosa supostamente comandada pelo deputado estadual cassado Wallace Souza e seu filho Raphael Souza.

Os mandados de prisão começaram a ser cumpridos por volta das 15h, com a prisão de Wellington Mateus, no Município de Presidente Figueiredo (a 106 quilômetros de Manaus). Ele chegou à capital por volta das 17h30. O mandado de prisão do vice-prefeito foi cumprido pelo delegado-geral-adjunto José Divanilson Cavalcanti, por volta das 17h45, na casa onde ele mora com a família, no conjunto dos Advogados, na estrada da Ponta Negra, Zona Oeste.

Quando a polícia chegou para dar cumprimento ao mandado de prisão, Carlos não estava em casa. A família foi avisada que havia um documento para ele assinar. O vice-prefeito foi informado que a polícia estava à sua procura e foi ao local, sendo surpreendido com a ordem de prisão.

De acordo com os policiais que estavam no conjunto, Carlos demonstrou ter ficado surpreso. A prisão foi na presença de seu advogado, Félix Valois, que o acompanhou até até a Secretaria Adjunta de Inteligência (Seai), no bairro de Flores, Zona Centro-Sul.

Carlos chegou à Seai em uma viatura descaracterizada da polícia, escoltada por policiais do grupo Fera. Sem algemas e, aparentemente, abalado, o vice-prefeito não respondeu às perguntas dos repórteres. Na Seai, ele ficou por, aproximadamente, uma hora e foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML), onde foi submetido a exame de corpo de delito e de lá seguiu para a UPP.

O secretário de Inteligência, Thomaz de Vasconcelos Dias, disse que Carlos vai passar a noite em uma sala da UPP. Hoje, a defesa dele deverá entrar com um pedido para que ele seja colocado em um prisão especial, já que possui prerrogativas para isso. Carlos é biólogo formado pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Atualmente, estava como prefeito em exercício de Manaus.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Hoje é dia Mundial de combate à corrupção


O Dia Mundial de Combate à Corrupção, comemorado todo ano no dia 9 de dezembro, a data é uma referência à assinatura da Convenção das Nações Unidas Contra Corrupção, ocorrida na cidade mexicana de Mérida. Em 9 dezembro de 2003, mais de 110 países assinaram a Convenção, que entrou em vigor no dia 14 de dezembro de 2005.

A Convenção da ONU contra a Corrupção é o mais completo e abrangente instrumento internacional juridicamente vinculante (que obriga cumprimento). Primordialmente, a convenção estimula o controle social para fiscalizar contas do governo, prevê a cooperação para recuperar somas de dinheiro desviadas dos países (rastrear, bloquear e devolver bens) e prevê tipificação como crime do suborno, lavagem de dinheiro e outros atos ligados à corrupção.

No Brasil, O Congresso Nacional aprovou o texto em maio de 2005 e no dia 31 de janeiro de 2006 a Convenção foi promulgada, passando a vigorar no país com força de lei.

Em Brasília, a questão é discutida

Seminário “Superando a Cultura da Corrupção”

Evento realizado pela ABRACCI, em Brasília, nos próximos dias 9 e 10 de dezembro, o seminário nacional “Superando a cultura da corrupção” pretende discutir alguns aspectos da realidade brasileira que precisam ser enfrentados para que se construa uma “cultura da integridade” que permeie todos os aspectos da vida nacional.

Data: 9 e 10 de dezembro de 2010
Horário: das 9h às 18h
Local: Auditório do TCU – Brasília – DF

Advogada critica Moutinho

Márcio James - 13/julho/2009
Advogada Maria Benigno diz que vai recorrer ao TSE




Aristide Furtado
Especial para A CRÍTICA

Advogada Maria Benigno disse que o Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) agiu à revelia da Lei ao julgar pela segunda vez o processo de cassação do prefeito de Manacapuru Edson Bessa (PMDB) usurpando a competência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

No dia 5 de novembro, o TRE cassou Bessa e o vice Sidinilson Holanda (PMDB) por caixa dois e abuso de poder econômico na campanha eleitoral de 2008. Na segunda-feira (7), a Corte voltou atrás e decidiu mantê-lo no cargo. Fez isso ao analisar um recurso (embargo de declaração) apresentado pelo prefeito.

Maria Benigno afirmou ontem que vai recorrer ao TSE para derrubar essa decisão. Segundo ela, os embargos de declaração não servem para mudar o resultado de um julgamento. “São usados para esclarecer uma questão que esteja confusa ou contraditória no acordão (decisão). Senão seria dois julgamentos na mesma instância”, disse.

De acordo com a advogada, só o TSE poderia modificar o resultado do primeiro julgamento feito pelo TRE. Ela questionou os argumentos utilizados pelo presidente da Corte, Ari Moutinho, autor do voto de desempate pró-Bessa, que disse que as provas contra o prefeito não são seguras. “Esse tipo de alegação não cabe em embargos”, declarou a advogada.

Benigno também disse que achou estranho o fato do jurista Francisco Maciel ter levado à sessão plenária voto por escrito a favor do prefeito se ele sequer tinha conhecimento do recurso. A relatora do caso era a desembargadora Graça Figueiredo. No primeiro julgamento Maciel votou pela cassação de Bessa. Em seguida, concedeu-lhe liminar para permanecer no posto. “O voto dele foi o que conduziu a posição dos demais membros que votaram a favor dos embargos”, disse a advogada.

Não é a primeira vez que o TRE muda uma decisão ao analisar um embargo de declaração. No final de 2008, ocorreu a mesma coisa no processo do prefeito de Novo Aripuanã, Hilton Laborda. O caso hoje está sendo revisto pelo TSE. E já recebeu voto do relator contrário ao que foi decidido pela Corte do Amazonas. Laborda teve o registro de candidatura negado pela Justiça de primeiro grau. Foi condenado por contrabando de ouro. E começou a cumprir a pena em 2007. A lei da inelegibilidade diz que o condenado só pode concorrer três anos após o cumprimento da pena.

O TRE julgou o caso e manteve a condenação. Depois, ao analisar os embargos, voltou atrás e permitiu a diplomação de Laborda. A época o presidente Ari Moutinho não participou do julgamento porque a filha dele, a advogada Ana Beatriz, havia atuado na defesa do prefeito na primeira instância. O processo chegou ao TSE em janeiro de 2009. O relator do recurso, ministro Joaquim Barboza, votou contra o registro de Laborda. O julgamento começou em julho e ainda não foi concluído.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Frase da Semana

“Eu não posso contar piada porque sou político, não posso rir porque sou político, não posso beber porque sou político, não posso falar palavrão porque sou político. Como se essas coisas fossem só de artistas”.


Presidente Lula, ao receber o Prêmio "Personalidade do ano", da Revista Isto É, comentando sobre aqueles que acham que políticos são seres superiores.

Bessa se mantém na prefeitura

Raphael Alves - 15/09/2009
Ari Moutinho disse que defesa de Bessa apresentou recurso contraditório




Tereza Teófilo
Da equipe de A CRÍTICA

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), desembargador Ari Moutinho, assegurou ontem o retorno de Edson Bessa (PMDB) ao cargo de prefeito de Manacapuru (distante 85 quilômetros de Manaus). A decisão ocorreu 32 dias após o Pleno do Tribunal ter cassado o mandato de Bessa por compra de votos e prática de caixa dois nas eleições de 2008.

No voto de minerva, Moutinho considerou insuficientes as provas apresentadas pelos advogados de defesa do deputado estadual Angelus Figueira (PV). A diplomação e posse do parlamentar, que ficou em 2º lugar nas eleições passadas, estavam marcadas para amanhã (9).

Moutinho sustentou ainda que o caminho para apurar a compra de votos e o abuso do poder econômico contra Edson Bessa não seria uma Ação de Impugnação de Mandato Eletivo (AIME) e sim uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE). O magistrado disse que o Embargo de Declaração (recurso) proposto por Bessa, cuja relatoria ficou a cargo da desembargadora Maria das Graças Figueiredo - a qual votou pela manutenção da decisão que cassou o prefeito - apresentava uma contradição porque as contas de campanha de Bessa teriam sido aprovadas por unanimidade pelo TRE. “Todas as regras da contabilidade foram respeitadas pelo candidato”, disse Moutinho.

O peemedebista também foi absolvido pela Justiça Eleitoral do pagamento de multa. Moutinho fez questão de ressaltar que sua decisão “reacendeu as luzes da serenidade”.

Ao fim do julgamento, o candidato a vice-prefeito na chapa de Angelus, Messias Furtado (PSol), deixou as dependências do TRE e declarou: “Esse julgamento sim é uma peça de ficção. Nós já sabíamos que isso ia acontecer. Vamos conversar com os advogados para ver o recurso junto ao TSE”, disse Furtado, em uma referência ao voto da desembargadora Graça, que ao votar pela cassação de Bessa disse que as contas de campanha do prefeito eram “meras peças de ficção”.

MPE propõe rede de debate sobre corrupção

Raphael Alves
A promotora Silvana Nobre é coordenadora, no Amazonas, do projeto ‘O que você tem a ver com a corrupção?’




Aristide Furtado
Especial para A CRÍTICA

O Ministério Público Estadual (MPE) vai levar para as escolas públicas e particulares de Manaus, em 2010, o projeto “O que você tem a ver com a corrupção?”. A ideia é construir uma rede de debate sobre os prejuízos causados à sociedade pela má aplicação e desvio do dinheiro público no ano em que serão eleitos deputados estaduais e federais, senadores, governador e presidente da República.

Ontem, representantes de oito escolas privadas se reuniram, na sede do MPE, com a promotora de Justiça, Silvana Nobre, para conhecer o projeto. Estiveram no encontro educadores que atuam nas escolas Dom Bosco, Literatus, La Salle, Colégio Militar, Latu Sensu, Ida Nelson, Centro Educacional Alvaro Botelho Maia e Centro Metropolitano de Ensino (Cemetro).

Coordenadora executiva do projeto no Amazonas, a promotora Silvana Nobre disse que a data da reunião é estratégica porque nesse período as escolas estão preparando o calendário de atividades pedagógicas do próximo ano. “Queremos integrar essa temática no cotidiano das escolas. A ideia é que esse assunto seja trabalhado como tema transversal”, explicou.

A rede pública municipal e estadual de ensino também será envolvida na rede de combate à corrupção. Os convênios com as secretarias de Educação do Estado (Seduc) e do município de Manaus (Semed) já estão prontos. “Só estamos aguardando espaço na agenda dos secretários para assinar o convênio. É uma cooperação técnica. Eles se comprometem a discutir a temática nas escolas e o MPE entra com a parte de capacitação”, disse a coordenadora.

Além do debate sobre a corrupção no setor público, o projeto quer discutir os pequenos deslizes éticos do dia a dia, que contribuem, na avaliação da promotora, para a formação de uma consciência tolerante ao desvio do dinheiro público. “Quando toleramos a corrupção como algo natural, não fiscalizamos e não cobramos os nossos representantes”, disse.

Melhorar estrutura

Para Silvana Nobre, os órgãos fiscalizadores da aplicação do dinheiro público no Amazonas precisam se aparelhar melhor para dar respostas rápidas à sociedade. “O Tribunal de Contas do Estado, o Ministério Público Estadual e o Tribunal de Justiça precisam melhorar suas estruturas para fiscalizar de forma mais efetiva. Não se pode levar tantos anos para se investigar julgar esses processos”, declarou.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

A força política da Internet: Mídias sociais mudam jeito de fazer campanha

Reprodução/iMasters
Campanha do Democrata Obama na Internet é vista como um marco no uso desse recurso para fins eleitorais



Gerson Severo Dantas
Da equipe de A CRÍTICA

A eleição de 2010 será a eleição do twitter, do orkut, do facebook, do youtube, enfim a eleição das chamadas mídias sociais, aquelas formadas por redes de amigos e conhecidos que trocam mensagens cotidianamente. “Para você ter uma ideia da força destas mídias, o Obama (Barack, presidente dos Estados Unidos) colocou, durante a campanha eleitoral, oficialmente 2 mil vídeos dele no youtube, mas cidadãos comuns, eleitores, postaram outros 150 mil vídeos dele”, lembra o consultor de mídias sociais Cláudio Torres.

Torres é um dos professores do Núcleo de Inteligência Digital (iDigo), que semana passada realizou o primeiro curso “Campanha política na web” destinado a assessores, consultores e políticos que estarão envolvidos em campanhas no próximo ano.

Há, conforme Torres, um amplo espectro de atuação para quem vai usar a rede mundial de computadores para fazer campanha política. Dentre os recursos disponíveis para atingir os eleitores on-line estão as redes sociais, plataformas colaborativas, campanhas virais, marketing de busca e e-mail marketing, além de mensagens mobile (celular). “É um trabalho que exige planejamento e uma boa equipe. O Obama tinha mais de 20 pessoas dedicadas a isso”, afirma.

A questão do planejamento, por sinal, exige muita rapidez, pois do contrário o candidato poderá perder o ‘bonde’ mais adequado. No Amazonas já existe, por exemplo, dois casos de políticos com twitter “fake” (falso) sendo abastecidos por desconhecidos com intenções boas, más e nem tanto. O senador Arthur Virgílio Neto (PSDB-AM), que estará em busca da reeleição no próximo ano, é uma das vítimas, mas no caso dele o “fake” parece ter sido feito por um admirador. Já o “fake” do secretário de Estado da Cultura, Robério Braga, que há muito não disputa uma eleição, serve para ironizá-lo desde o nome do domínio: “que rei sou eu”.

A dica dos especialistas nesses casos é adiantar o que pode acontecer, planejar respostas e monitorar intensamente as mídias sociais. Fora da seara política, por exemplo, grupos de comunicação no mundo todo estão criando editores de mídias sociais. O primeiro a implantar a nova função foi a BBC de Londres. No Brasil, os jornais O Estado de São Paulo e Zero Hora, de Porto Alegre, seguiram a mesma linha. Os políticos precisarão de algo semelhante.

Dono de perfis no orkut e no twitter, o cientista social Carlos Santiago afirma que as mídias sociais são extremamente eficientes e fascinantes porque quem as integra já está interessado em receber as informações. “Quando se entrega um folder, um panfleto a um eleitor você conta que ele se dará ao trabalho de ler. Já nas mídias sociais é diferente, pois o eleitor é parte do processo, ele está na rede, integra a cadeia de relacionamento”, analisa.

domingo, 6 de dezembro de 2009

17 anos depois FLA sai da fila

Em jogo tenso, time rubro-negro vence Grêmio por 2 a 1 e acaba com jejum de 17 anos sem conquistar o Brasileiro

Eduardo Peixoto Rio de Janeiro


Ronaldo Angelim costuma dizer que sua maior vaidade é assistir ao Flamengo vencer. Neste domingo, certamente está se sentindo vaidoso como nunca. E graças a uma cabeçada certeira dele. Com sofrimento e dificuldade até o fim, o Rubro-Negro venceu o Grêmio por 2 a 1, no Maracanã, e conquistou o Campeonato Brasileiro pela sexta vez.

Mas para acabar com o jejum de 17 anos sem conquista, o time e a torcida sofreram. Foram 90 minutos de agonia, sem jogar bem, mas que entraram para a história. Pressionado pela própria torcida para entregar e não ajudar o rival Inter, o Tricolor Gaúcho entrou em campo com apenas três titulares. E não aliviou. Abriu o placar e tentou o empate até o fim.

Em tarde de Maracanã lotado, com quase 85 mil presentes, Adriano e Petkovic não brilharam. Nem a torcida. A aflição e a carência do título foram preponderantes para o estádio ficar calado, com os nervos à flor da pele, durante a maior parte do tempo. Euforia só nos gols de David e Ronaldo Angelim, que garantiram a festa. O Fla fechou o torneio com 67 pontos, dois a mais do que o vice Inter. O Tricolor gaúcho fecha o ano em oitavo, com 55.

Alexandre Durão/GLOBOESPORTE.COM

Cercado pelos companheiros, Ronaldo Angelim comemora o gol do título

Sem essa de entregar


A festa começou, curiosamente, com uma música “copiada” do principal concorrente ao título. No ritmo de “Brasília Amarela”, a torcida do Flamengo saudou a entrada do time em campo. A proximidade do título e o Maracanã superlotado levaram muitos torcedores às lágrimas. Mas, ao contrário do que diz a letra do cântico, a festa não começou.

Quando a bola rolou, o time e a torcida demoraram a acordar. Apesar de dizimado por desfalques e dos gritos de “entrega” vindos das arquibancadas do Fla, o Grêmio começou a partida ligado na tomada.

Aos dois minutos, Túlio, que textualmente afirmou “odiar” o Flamengo quando jogava no Botafogo, arriscou de fora da área e levou perigo ao gol de Bruno.

Estranhamente apático nos dez minutos iniciais, o time mandante só saiu do cerco gremista aos 12. Aírton fez lindo lançamento de trivela. Adriano ajeitou para a perna esquerda, mas foi bloqueado. A bola sobrou novamente no pé bom do atacante após cobrança de escanteio. Desta vez, a finalização saiu por cima do travessão.

Parecia o início da pressão rubro-negra. Mas não passou disso. A torcida continuou muda. E o Grêmio sentiu-se senhor da situação. Após cobrança de escanteio, aos 21, Roberson se antecipou à zaga na primeira trave e abriu o placar. Curiosamente, os poucos tricolores gaúchos presentes no Maracanã não comemoraram.

Aflição e ansiedade se confundiam entre os flamenguistas. Principalmente porque o Inter abriu o placar contra o Santo André. Pet cobrou escanteio da direita e, em uma bola quase perdida na área, Adriano dividiu com a zaga e, na sobra, David bateu de primeira no canto direito, aos 29 minutos. Mais do que o empate, saía o alívio momentâneo. A torcida, enfim, mostrou força.

Mas o time prosseguiu rateando. Zé Roberto, muito mal no jogo, perdeu chance clara aos 35. Já nos acréscimos, Adriano bateu falta lateral com força e Marcelo Grohe espalmou.

Ronaldo Angelim, o Magro de Aço, entra para a história

No intervalo, Andrade criticou a atuação do Flamengo e pediu mais iniciativa e dedicação.

- Parece que o Grêmio é que veio aqui disputar o título. Tem que ter atitude.

Os jogadores armaram uma corrente no meio-campo e a torcida despertou. Só que a primeira chance foi do Grêmio. Douglas Costa, aos dois minutos, quase acertou o ângulo esquerdo em cobrança de falta.

Aos três, Petkovic cobrou escanteio da direita, Adriano subiu sozinho na entrada da pequena área, cabeceou para o chão, mas mandou para fora. Em outra bola cabeceada, desta vez por Aírton, Marcelo Grohe voou e salvou o Grêmio, aos sete.

Léo Moura e Willians, ambos aos 11, estiveram perto de virar o placar. Àquela altura, o Grêmio só se defendia. E o Flamengo errava. Erros bobos, que evidenciaram a tensão permanente.

Andrade pôs Everton. Mas Pet continuou errando. Juan lançou Adriano aos 23. Era a chance de o Imperador fazer o gol do título. Olhou, tentou a cavadinha, mas Marcelo Grohe fez uma defesa espetacular.

Se os astros do time não colaboraram, coube novamente a um zagueiro salvar, aos 24 minutos. Petkovic bateu escanteio da esquerda, Ronaldo Angelim subiu no meio da área e testou no canto esquerdo: 2 a 1.

O gol não pôs fim ao jogo. Aos 32, Lucio cobrou falta de longe, a bola quicou e Bruno espalmou. Livre na pequena área, Maylson chutou para fora. Adriano recebeu ótima bola aos 40, mas se enrolou e Marcelo Grohe salvou.

O apito final seguido pela explosão de alegria no Maracanã só veio após três minutos de acréscimos e pressão gremista, com direito ao goleiro Bruno passeando pela área com a bola nos pés para fazer o tempo passar.

Seca deixa 15 municípios em situação de emergência no Amazonas

05 de dezembro de 2009

Fonte: G1



Foto: Reprodução/TV Amazonas









MANAUS - O Amazonas já registra 15 municípios em situação de emergência por causa da seca que atinge o estado, segundo boletim divulgado pela Defesa Civil nesta sexta-feira (4)

Aproximadamente 200 mil pessoas foram afetadas pela seca no Amazonas. Equipes da Defesa Civil percorrem a região para oferecer ajuda à população ribeirinha.Em Manaus, o nível do Rio Negro chegou a 15,89 metros na última medição, realizada quinta-feira (3).

A seca recorde do Rio Negro ocorreu em 1963, quando o nível chegou a 13,64 metros.

A ausência de chuvas e o regime de vazante dos rios amazônicos estão causando problemas de abastecimento em alguns municípios do interior.O caso mais grave é em São Gabriel da Cachoeira, no Alto Rio Negro, onde os barcos não conseguem mais chegar porque os principais rios de acesso ao município secaram.

A Defesa Civil já separou os mantimentos que serão enviados ao município em aeronaves das Forças Armadas.

“El Niño”

Meteorologistas do Sistema de Proteção da Amazônia explicam que o aquecimento das águas do Pacífico afeta diretamente o regime de chuvas na Amazônia, já que inibe a formação de nuvens na região. É o chamado fenômeno ‘El Niño’.

A queda dos índices pluviométricos foi registrada, com mais intensidade, nos meses de setembro e novembro. Em novembro, por exemplo, quando a média de chuvas é de 140 milímetros, choveu apenas 70 milímetros.

A estiagem propicia incêndios florestais espontâneos e a fumaça tem deixado a capital sob uma intensa névoa. Em dias críticos, o aeroporto internacional tem operado por instrumentos. (RC)

Dia de Decisão

Última rodada tem quatro times brigando por título

Flamengo é favorito a levantar o troféu, enquanto o outro extremo da tabela tem duas vagas abertas. Confira as chances de cada equipe

GLOBOESPORTE.COM Rio de Janeiro


O Campeonato Brasileiro mais disputado da era dos pontos corridos termina neste domingo com quatro equipes brigando pelo título e outras quatro lutando contra o rebaixamento. Na parte de cima da tabela, a missão teoricamente mais simples é a do líder Flamengo (65 pontos), que recebe o mistão do Grêmio no Maracanã. Se vencer, conquistará o hexacampeonato e acabará com cinco anos de domínio paulista.

Maurício Val/VIPCOMM

Torcida do Flamengo poderá comemorar no Maracanã o título brasileiro, na partida contra o Grêmio

Três times estarão na torcida por um tropeço rubro-negro. O primeiro da fila é o Internacional, que tem 62 pontos e terá de contar com o empenho do seu rival gaúcho para levantar o caneco no ano do centenário. No Beira-Rio, o time enfrenta o Santo André.

Palmeiras e São Paulo também somam 62 pontos, mas com uma vitória a menos. Por isso, dependem de dois tropeços - de Flamengo e Inter. Se isso acontecer e os dois paulistas fizerem a sua parte, a parada será decidida no saldo de gols. O Alviverde pega o Botafogo no Engenhão, e o Tricolor recebe o Sport no Morumbi. Apenas outro time tem chance de beliscar uma vaga na Libertadores de 2010: o Cruzeiro, que tem 59 pontos e encara o Santos na Vila Belmiro.

Como está a briga pelo título

Flamengo: basta vencer o Grêmio. Se empatar ou perder, precisará contar com tropeços de Inter, Palmeiras e São Paulo.

Internacional: depende de tropeço do Flamengo. Neste caso, bastaria uma vitória simples sobre o Santo André.

Palmeiras: torce para que Flamengo e Inter não ganhem seus jogos. Só perderia o título caso o São Paulo tire a diferença no saldo de gols (que é de três atualmente).

São Paulo: tem a missão mais complicada, pois precisa de tropeços de Flamengo e Inter, além de tirar a vantagem de saldo de gols do Palmeiras.

sábado, 5 de dezembro de 2009

Gripe Suína: 19 casos no interior

Até a última semana, o interior do Estado acumulava um total de 19 casos confirmados de gripe A, sendo o Município de Tabatinga o mais prejudicado com um total de dez vítimas. Em seguida, apareciam Manacapuru, com sete casos, e Tefé, com dois. Manacapuru, até então, é o único município que registrou óbitos por conta da gripe A (dois). Os outros óbitos foram registrados em Manaus. Desde abril deste ano até agora, o Amazonas teve 173 casos confirmados da Influenza A e sete óbitos.

O presidente do Comitê de Controle e Monitoramento da Gripe A, Bernardino Albuquerque, informou que, mesmo sem chuvas, a população deve manter os hábitos preventivos como lavar as mãos, utilizar álcool em gel e evitar aglomerações durante quadros gripais. Até agora, Tabatinga é a cidade que desperta maiores cuidados das autoridades de saúde por estar situada em região de fronteira com a Colômbia. Bernardino reconhece que há possibilidade de que outras cidades do interior venham a apresentar novos casos, principalmente Atalaia do Norte e Benjamin Constant, em função da proximidade com Tabatinga.

Comando da prefeitura nas mãos de Moutinho



Bruno Kelly - 03/abril/2009 Cassado, prefeito Édson Bessa terá revisão de decisão



André Alves
Da equipe de A CRÍTICA

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), desembargador Ari Moutinho, será autor do voto de minerva que definirá quem ficará no comando da Prefeitura de Manacapuru - se Édson Bessa (PMDB), prefeito que teve o mandato cassado por compra de voto, ou o deputado estadual Ângelus Figueira (PV), segundo colocado na disputa eleitoral do ano passado. A decisão deve acontecer na segunda-feira (7).

Na última quinta-feira, o julgamento que definiria o imbróglio judicial - que pôs em instabilidade a administração de Manacapuru - terminou empatado em três a três. Caberia a Ari Moutinho, como presidente do TRE, decidir a questão. A ausência de Moutinho em julgamentos anteriores, relacionados à disputa pelo comando de Manacapuru, levou a Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) a questionar se ele estaria apto a julgar o recurso de Bessa.

Decisão

Apesar de contar com a anuência do Pleno do TRE para decidir a questão, Ari Moutinho preferiu repassar a missão de desempatar o julgamento à suplente Socorro Guedes. Ontem, após ouvir os argumentos da desembargadora Socorro Guedes, o Pleno confirmou, por unanimidade, que será mesmo Ari Moutinho quem decidirá o caso pelo voto de minerva.

“Nenhum magistrado pode participar de um julgamento se não tiver ouvido o relatório. Eu aqui não estava, portanto não ouvi o voto do relator, não ouvi as discussões a respeito da matéria, muito menos o voto divergente. Como poderia chegar aqui e proferir um voto? Qualquer universitário do 2º ano de Direito saberia da total incapacidade dessa magistrada de participar desse julgamento”, sentenciou Socorro Guedes, ontem, durante a sessão do TRE.

A desembargadora recebeu a concordância de todos os magistrados presentes à sessão. Conforme argumentou Socorro Guedes, caso a decisão de convocá-la para o julgamento fosse mantida, o chefe do Tribunal Regional Eleitoral, por qualquer ausência, ficaria impedido de participar de outros julgamentos. “Se essa corte continuar entendendo dessa maneira, o presidente seria nada mais do que uma rainha da Inglaterra”.

À exceção do procurador eleitoral, Edmílson Barreiros, a fala de Socorro Guedes não recebeu qualquer oposição. “A decisão de ontem (anteontem) contrariou precedentes da Corte”, justificou o juiz Elci Simões. “Eu retromacho (volta atrás) e acato as ponderações da desembargadora”, sustentou Simões, que foi seguido pelos juízes Joana Meirelles, Dimis da Costa Braga, Francisco Maciel, Mário Augusto Marques e pela desembargadora Graça Figueiredo.

Na sessão do dia 3, todos se disseram favoráveis que Moutinho fosse autor do voto de minerva, mas o presidente do TRE optou por convocar a suplente Socorro Guedes.

Do Sim & Não da Crítica

Tensão Corre à boca miúda no Ministério Público Estadual que a esposa do promotor de Justiça Alessandro Gouveia, da Comarca de Coari, estaria recebendo ameaças. Há informação de que está em curso uma operação para protegê-la.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Estudantes da UFAM em Coari realização manifestação

Imagem de arquivo


Durante a manhã de hoje estudantes da Universidade Federal do Amazonas-UFAM, realizaram uma manifestação pelas ruas da cidade. A principal reivindicação dos acadêmicos seria a ausência de professores.

"Muitos professores tem saído para o mestrado e doutorado, o que é um direito deles, mas a universidade não tem recolocado outros profissionais", disse um dos acadêmicos. A saída de professores para qualificação profissional tem sido umas da exigências do governo Federal visando melhorar a qualidade do ensino superior.

" Isto tem afetado diretamente a formação dos estudantes que em alguns periodos tem somente três disciplinas e em outros chegam a fazer oito ou nove", segundo um estudante de enfermagem. A UFAM realizou concurso este primeiro semestre, porém alguns professores ainda não foram empossados.

Mistério envolve desaparecimento de criança em Apuí

03 de dezembro de 2009

Fonte: Portal Amazônia, com informações da TV Amazonas



Foto: Reprodução TV Amazonas








APUÍ (AM) - Uma criança de oito anos de idade está desaparecida desde terça-feira (01), no município de Apuí (distante a 476 quilômetros de Manaus), no Sul do Amazonas.

O nome da criança é Larissa Ferreira Coutinho, ela saiu para ir à escola no início da tarde de terça, a escola fica a menos de duas quadras da casa onde Larissa mora com o pai Leandro Coutinho, a madrasta e uma irmã de dois anos.

- Nós estamos procurando, já fomos à Polícia, colocamos vários anúncios, mas até agora nenhuma informação, disse Leandro.

Segundo a diretora da Escola, Rosimere Deola, a menina é assídua e que na última quarta-feira (02), ela não compareceu à aula, embora alguns alunos a vissem nas imediações da Escola.

O pai teme que a mãe da criança da qual está separado há seis anos, tenha levado Larissa para Porto Velho (RO), onde vive.

O desaparecimento da menina foi registrado na Delegacia de Polícia que está investigando o caso. Se você tiver informações ligue para (97) 3389-3148 ou 3389-2163. (JK)

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Negada liberdade a Adail

Euzivaldo Queiroz - 14/setembro/2009
Pela terceira vez pedido de relaxamento de prisão de Adail Pinheiro é negado


Aristide Furtado
Especial para A CRÍTICA


A Justiça negou, pela terceira vez, o pedido de liberdade de Adail Pinheiro. A juíza de Coari Sheila Jordana decidiu que o ex-prefeito e os ex-secretários municipais Adriano Salan e Maria Lândia dos Santos devem ficar presos até o julgamento da ação penal que avalia a suposta prática de pedofilia e exploração sexual de crianças e jovens.

A decisão foi emitida na sexta-feira (27). Mas só ontem circulou no cartório da Segunda Vara de Coari. No último dia 21, o promotor de Justiça, Alessandro Gouveia, se posicionou contra o pedido de liberação dos três acusados. O Tribunal de Justiça do Amazonas e o Superior Tribunal de Justiça já rejeitaram pedidos semelhantes.

Mandado de prisão


Foram incluídos na mesma ação penal, de acordo com a decisão da magistrada, o marido de Lândia, Eudes Azevedo, e o ex-assessor de Adail, conhecido por Canarana. Sheila Jordana também expediu mandado de prisão contra Canarana. Segundo o Ministério Público, ele estaria intimidando uma das supostas vítimas do ex-prefeito.

Eudes e Canarana serão citados para apresentar defesa prévia. Fontes de Coari dão conta de que o ex-assessor de Adail fugiu para Tefé. O MP, com base em investigações feita pela Polícia Federal, acusa Canarana de ter sequestrado uma menina de doze anos, em novembro de 2008. Conduzido ela para Manaus em um avião fretado pela Prefeitura de Coari para se encontrar com Adail. Na capital, a garota foi entregue a Eudes e Maria Lândia que a levaram para a representação do município e depois para um hotel.

A Secretaria Estadual de Justiça (Sejus) fez a transferência de Adriano Salan, no final da tarde de ontem, do hospital de custódia, anexo da cadeia Raimundo Vidal Pessoa, no centro de Manaus, para o Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), Zona Leste. A informação foi dada pelo secretário adjunto de Justiça, coronel Bernardo Encarnação Salgado. Salan foi transferido porque a direção do hospital de custódia informou à juíza Sheila Jordana que não havia mais necessidade mantê-lo na unidade.