terça-feira, 17 de maio de 2011

Eletrobrás admite débito milionário e repassa culpa à Petrobras

O deputado Marcos Rotta disse que prepara um dossiê sobre a Amazonas Energia, no qual levanta questões como direcionamento em licitações e favorecimento de empresas

Manaus, 17 de Maio de 2011

acritica.com


O diretor de Geração e Distribuição da Amazonas Energia/Eletrobrás, Tarcísio Rosa, admitiu nesta terça-feira (17) durante cessão de tempo na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE/AM) manter dívida de R$ 85 milhões à Companhia de Gás do Amazonas (Cigás) e culpou a Petrobras pelo acúmulo do débito. 

“A Eletrobrás não consegue pagar nenhum centavo sem a autorização da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), por meio da Conta de Consumo de Combustíveis (CCC). No entanto, 75% dessa dívida é da própria Petrobras, sócia de três produtoras independentes instaladas em Manaus”, afirmou Rosa, na manhã desta terça-feira (17), durante cessão de tempo na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam).

Segundo Rosa, o pagamento da dívida deverá ser quitado dentro de dez dias. “Não pretendemos dar calote. Afinal de contas, esse montante só representa 0,29% do contrato de R$ 30 bilhões que a Cigás mantém com a Amazonas Energia/Eletrobrás”, comentou Rosa, ao acrescentar que esse contrato é referente à aquisição de 5 milhões de metros cúbicos, dia, de gás natural.    

O valor, no entanto, é 30,17% menor que o reclamado pelo diretor-presidente da Cigás, Lino Chíxaro. Segundo o representante da concessionária, o débito da Eletrobrás é de R$ 120 milhões, montante referente à ausência de pagamento pela aquisição de gás natural desde dezembro de 2010.

“No próximo dia 21, vence mais um pagamento. E, se não for quitada, a dívida acumulada chegará a R$ 120 milhões”, explicou Chíxaro, ao ressaltar que apenas 2% deste débito são destinados aos cofres da Cigás, enquanto os 98% restantes são repassados para a Petrobras.  

Dossiê
O deputado Marcos Rotta (PMDB), autor da cessão de tempo, ressaltou que, apesar das explicações da Amazonas Energia sobre a ‘normalidade’ no fornecimento de energia elétrica no Estado. Mas na condição de presidente da Comissão de Defesa do Consumidor (CDC/Aleam), Rotta afirmou que vai continuar com as ações contra a empresa.

“Tenho acesso a dados que comprovam as constantes falhas na distribuição de energia elétrica tanto na capital quanto no interior. E por conta dos números absurdos de reclamações tenho o dever, como parlamentar e cidadão, de exigir uma boa prestação de serviços”, disse Rotta, ao acrescentar que, o diretor da Amazonas Energia/Eletrobrás, Tarcísio Rosa,foi infeliz ao publicar uma nota contra o parlamentar, na qual chamava o deputado de desinformado.

Ainda na tribuna, Rotta comentou que prepara um dossiê sobre a Amazonas Energia, no qual levanta questões como direcionamento em licitações e favorecimento de empresas. “Esse castelo tão defendido é um castelo de areia, prestes a desmoronar”, completou Rotta.




Clique aqui para contar vía facebook.